Metodologias Ativas: 7 passos para preparar uma aula invertida (flipped classrom) usando ferramentas do Google

Dando continuidade ao post anterior sobre Metodologias Ativas, o assunto de hoje será a sala de aula invertida.

A geração Z tem levado professores e pedagogos a reinventarem a sala de aula, atendendo o perfil tão peculiar dessa geração que nasceu com a tecnologia.

A flipped classroom ou sala de aula invertida tem se apresentado como uma possibilidade de alteração do papel do professor e, consequentemente, colocado o aluno no centro do processo ensino aprendizagem.

Universidades classificadas entre as melhores do mundo, como Duke, Stanford e Harvard, através dos professores Jon Bergmann e Aaron Sams, têm testado e aprovado essa metodologia, alcançando resultados positivos. O MIT (Massachusetts Institute of Technology) considera a Flipped Classroom fundamental no seu modelo de aprendizagem. E o método é adotado em escolas da Finlândia, Singapura, Holanda e Canadá.

Alguns pesquisadores sempre souberam da importância do processo de interação social para o desenvolvimento da mente e do uso da tecnologia para construir o conhecimento. Isto pode ser encontrado nas ideias de Vygotsky (1896-1934) e Seymour Papert. Paulo Freire sugeria que o professor usasse recursos como vídeos e televisão para transformar a classe num ambiente interativo. E dizia “não temos que acabar com a escola, mas sim, “mudá-la completamente até que nasça dela um novo ser tão atual quanto a tecnologia”.

 

Então, será que a sala de aula invertida é mesmo uma inovação?

Mesmo que não seja uma inovação, é uma forma de despertar o interesse e a participação da turma, incentivar o hábito de leitura, alterar o papel do professor para mediador, abrir espaço para discussões e estudos de casos, desenvolver competências de autogestão, autonomia e cooperação.

 

E como funciona a aula invertida?

Na aula invertida o professor disponibiliza informações básicas sobre um tema, antes da aula. Isto pode ser feito alguns dias antes. Essas informações podem ser constituídas de textos, conjuntos de slides, vídeos, sugestões de sites com conteúdos de apoio, arquivos de áudio, arquivos de som, jogos e o que mais o professor achar que é interessante. Disponibiliza, também, um questionário a ser respondido.

Essa disponibilização pode acontecer em um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), no próprio Drive do Google e, até mesmo, na própria sala de aula.

Com estas informações o aluno começa a construir o conhecimento desse novo tema e passa por uma avaliação. Ao voltar à sala de aula, será avaliado e isto dará subsídios ao professor para discutir as dúvidas e completar o processo de aprendizagem.

 

7 passos para preparar uma aula invertida usando ferramentas do Google:

  • Passo 1: Acesse o site www.google.com e crie uma conta no gmail; Logo em seguida, você terá acesso a várias funcionalidades do Google como o Drive e Formulário;
  • Passo 2: Crie uma pasta no Drive e ative a opção “Compartilhar link”;
  • Passo 3: Coloque na pasta que foi criada no Drive todos os arquivos dessa aula como textos, vídeos, links e o que mais julgar necessário;
  • Passo 4: Encurte a URL do endereço de seu Drive e gere um QRCode para facilitar o acesso;
    Essa URL encurtada você irá disponibilizar para as pessoas que poderão ter acesso à sua pasta;
  • Passo 5: Crie um questionário usando Formulário;
  • Passo 6: Este passo será realizado na sala de aula. Comece passando um questionário individual sobre o tema para que você possa avaliar o que cada aluno foi capaz de aprender em casa. Abra a sala para debate. Isto lhe dará subsídios para expor o conteúdo contemplando as dúvidas observadas;
  • Passo 7: Agora é hora de verificar a aprendizagem. Passe, novamente, o mesmo questionário.

 

Vantagens de usar a sala de aula invertida

  • O aluno é responsável pelos seus próprios atos. Ele decide onde, como e quando estudar. Isto, com certeza, é benéfico no processo ensino-aprendizagem;
  • O aluno aprende em seu próprio tempo, revendo o material disponibilizado quantas vezes necessárias, sem inibição;
  • A sala de aula presencial se torna um lugar mais agradável e dinâmico;
  • O professor se torna um mediador, auxiliando na construção do conhecimento.

E você? Já usou a sala de aula invertida? Se sim, coloque nos comentários a sua experiência que, com certeza, poderá enriquecer muito esse post.

 

About Marly Moreira Dias

Mestre em Educação pela UNIFENAS (1999); especialista em Computação pela UFMG; especialista em Design Instrucional pela UNIFEI. Coordenadora do Núcleo de Educação a Distância da Unifenas e consultora para uso do blended learning em diferentes áreas do ensino, principalmente na área Médica.

One thought on “Metodologias Ativas: 7 passos para preparar uma aula invertida (flipped classrom) usando ferramentas do Google

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *